Sobre unhas no teclado, Leão de O Mágico de Oz e feliz 2015

lion 2
Eu não sei você que está lendo, mas eu adoro digitar no teclado do computador. Amo o som das minhas unhas (quando elas não me traem e quebram no toco, daí não dá pra ouvir nada) batendo nas letras, desvendando tudo o que o eu estou pensando. Sou do tipo de pessoa que abre o Word só pra digitar esboços sobre o que podem ser poemas, letras de música, desabafos, coisas que eu queria que fossem verdade ou um novo idioma (chnuidschnudschnlds e por aí vai). Hoje, decidi fazer o mesmo com o blog.
Desculpe se você queria um post pensado, bem montado e bem profundo. Quero chegar lá um dia, mas dessa vez só tô pensando e digitando -não necessariamente nessa ordem.
Tenho pensado muito no meu futuro blog, no quanto eu quero que dê certo (muito!) e no quanto eu sei como fazer isso acontecer (pouco!). Tenho um amigo que tem um blog. Ele escreve poemas, os assina com o nome dele, divulga no instagram e tudo. Os textos são bons, mas o que mais me impressiona é como ele assume o risco disso tudo. Quer dizer, ele se expõe totalmente, tão vulnerável à críticas ou indiferença. Eu não consigo fazer isso! Se você me conhecesse (porque não conhece… né?), diria que eu estou mentindo. Eu amo falar, me expressar, fazer piada com o mundo e comigo mesma. Alguém assim não deveria ter medo de colocar o nome num blog. É, mas eu tenho.
Minhas unhas estão fazendo mais barulho que minha própria mente agora. Tô digitando isso bem rápido, errando a cada duas letras (e voltando pra corrigir). A Biologia chama isso de adrenalina. MEDO. Não sei bem o que vou fazer quando criar um blog. Hmmm…. o que você acha de um heterônimo?? Fernando Pessoa tinha um monte,  hoje obrigam estudantes do Ensino Médio a saber reconhecer os principais deles nas aulas de Literatura (não que eu seja boa como o Pessoa… ou que não goste de estudar os poemas de Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos -juro que não olhei no Google).
Ou talvez eu só precise de mais coragem. Não. Coragem não. Autoconfiança. Eu sou tipo o leão de O Mágico de Oz. Ele não precisava de coragem no fim das contas, só de confiança nele mesmo (mas bem que o ”Mágico” deu uma poção pra ele pensar que tinha ganho coragem…. hmmm….). Se eu tivesse uma lista de metas para o ano novo, colocaria essa no meio.
Falando nisso, e aí, qual foi o máximo de quilos que você viu uma pessoa dizer que vai emagrecer?? E para quantos casamentos-com-o-amor-da-vida você vai ser convidado?? Quantas pessoas você lembrou de que tem que guardar as sementinhas de cereja, uva, pera, maçã e salada mista pra simpatia dar certo?? Sim, eu adoro tirar sarro desses costumes do ano novo. Nada contra quem tem esperança de que a vida vai melhorar, ou então que fecha os olhos bem apertadinhos fazendo um pedido à meia-noite (sempre me faz pensar naquela cena de O Todo Poderoso, em que todo mundo ganha na loteria e o prêmio fica medíocre), mas acho isso de ”ano novo, vida nova!” uma bobagem. Desde quando tem que esperar 1 de Janeiro pra mudar alguma coisa? Desde quando tem que esperar à meia-noite? Mudar só requer vontade. E bom senso. Elaborar uma lista enorme de coisas mirabolantes sem nenhum planejamento é simplesmente perda de tempo. Só serve pra dar aquela sensação de ”NOW WHAT??!” que vem depois dos fogos. Concordo com Drummond, o ano novo cochila mesmo dentro de cada um de nós, e quem quer o acorda às três da manhã em Maio.
Maaaaaaasssss, mesmo sendo meio cética quanto à essa época do ano, ainda desejo um 2015 ótimo e com muitas realizações, autoconfiança, planejamentos plausíveis e que rendam frutos, não sementes de fruta que precisam ser guardadas na carteira (lá, desejo que você guarde dinheiro!!). E, pode acreditar, desejo tudo isso mesmo.
Muito obrigada por ler até aqui! Qualquer comentário é bem vindo (ou crítica, sugestão ou receita de bolo! Qualquer coisa!), vou adorar (principalmente se a receita for de bolo de chocolate)! Até a próxima!
PS: Alguém aí sabe onde eu arrumo a poção que o Mágico dá pro Leão ???

Advertisements

”Então é Natal….” NÃO. É SÓ DEZEMBRO.

Eu sou muito pior do que crianças de 6 anos são, quando o assunto é Dezembro. Ou raspar a panela da cobertura do bolo. Sou completamente apaixonada por esse ”clima” de fim de temporada de série de comédia, em que tudo pode acontecer. Parece que as coisas caminham para um ”fim”, um desfecho, seja ele bom, ou ruim. Depois a vida te convida a rir no dia 1 de Janeiro (ou no dia 2, depende do nível da ressaca) de tudo o que você fez no fim do ano, como se aquela fosse outra pessoa, um alguém que viveu há muito tempo e que não tem nem metade da sabedoria que você tem agora.
O fim do ano é movido a sentimentos que me fazem ver que nem tudo nos humanos é ruim. Há esperança. Há bondade. Há amor. Talvez ele não seja para todos, e talvez seja ”uma palavra fora de moda” (oi fans do Queen!), mas ele com certeza existe. E ele quem faz as pessoas sorrirem umas pras outras na fila do mercado em Dezembro (eu sorrio em qualquer época do ano, mas é porque sou meio viciada em sorrisos -inclusive quando estou comendo chocolate. Péssima ideia). E não é incrível ???
Bom, eu espero voltar aqui antes do mês acabar. Hoje é só dia primeiro, mas já desejo que seu Dezembro seja ótimo. Não tenha medo de sair por aí sorrindo e de sentir como um personagem de série de comédia na tv. Se permita um romance, ou ao menos um chocotone. Dê amor. A todos. Eles precisam. Mesmo que digam que não. Mesmo que você não seja do tipo sorridente e apaixonado pela vida. Às vezes, ironia é amor. Outras, uma música é amor. Outras ainda, um minuto que alguém perde só pra te esperar o é. Não se esqueça disso, e bom fim de temporada pra você! 😉
PS: Hoje também é o dia mundial da prevenção e combate à AIDS. Ela não acabou, e pode, sim, acontecer com você. Se proteja! E, além disso, não tenha preconceitos. Os heróis do Cazuza morreram de overdose, mas os meus… morreram de AIDS.

É aqui que eu coloco o título ??

Booooooomm….. Oi mundo! Eu nunca tive um blog em toda a minha vida, e quero muito começar um, mas como não tenho nenhuma experiência com blogs, decidi começar um só de teste, então se você caiu aqui por acaso… bem vindo ao meu blog-teste! Caso esteja curioso sobre o nome dele, ”there is no way2”, foi por causa da música que eu estava ouvindo quando o criei. Acho que é isso o que a cantora estava dizendo no refrão. É, eu estava sem muita inspiração.
Eu sou do estado de São Paulo, e de acordo com a margem de erro do ipobe já tenho 18 anos. Adoro ler e escrever, mas não sei se as pessoas gostam do eu escrevo (do que eu leio elas geralmente gostam, não todas, nem sempre, mas acho que gostam), então quero descobrir com o blog! Vou criar um ”oficial” e, se houver alguém me acompanhando aqui, posto o nome dele pra vocês seguirem.
Hã… eu acho que é isso por enquanto… muito obrigada se você leu até aqui e gostou. Se não gostou, obrigada só por ler. Ah, caso tenha algum comentário, crítica, quiser me das umas dicas sobre como mexer num blog (HTMLda fuuuuuccckkk???) ou então simplesmente quiser dizer ”oi”, vou adorar. Muito obrigada de novo por ler tudo! TCHAU! 🙂 🙂